sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Organização de Procura de Órgãos do Estado será instalada no Hospital Regional

Campo Grande (MS) - O Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS) vai sediar a Organização de Procura de Órgãos (OPO). O núcleo vai funcionar como apoio à Central Estadual de Transplantes e em parceria com as Comissões Intra-hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT).

Uma representante do Ministério da Saúde se reuniu ontem (25) e hoje (26) com a diretora de Ensino e Pesquisa do Hospital Regional e coordenadora da OPO, Magali Sanches Machado, e a coordenadora da Central Estadual de Transplantes Claire Miozzo para acertar detalhes da implantação da Organização. Mariliane Guzzo da coordenação geral do Sistema Nacional de Transplantes veio a Campo Grande verificar as instalações e conhecer os profissionais que vão atuar no Estado. Esta é a segunda etapa para instalação da OPO. A primeira fase do projeto foi o levantamento de dados e envio ao ministério. O governo federal vai contribuir com R$ 20 mil mensais para manutenção do núcleo.

A Organização de Procura de Órgãos tem como atribuições criar rotinas para oferecer aos familiares de pacientes falecidos nos hospitais a possibilidade da doação de órgãos e tecidos; articular junto as equipes médicas da Urgência e Emergência e Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para identificar potenciais doadores, além de promover e organizar ambientes e rotinas para o acolhimento às famílias doadoras antes, durante e depois de todo o processo de doação.

A OPO também deve notificar e promover o registro de todos os casos com diagnóstico de morte encefálica, mesmo dos que não sejam possíveis doadores de órgãos e tecidos, com os registros dos motivos da não doação; orientar e capacitar o setor responsável dos hospitais pelo prontuário legal do doador quanto ao arquivamento dos documentos originais relativos à doação como identificação, protocolo de verificação de morte encefálica, termo de consentimento familiar e exames laboratoriais entre outros.

Transplantes

De acordo com a Central de Transplantes do Estado este ano já foram realizados 182 cirurgias, sendo 162 de córnea e 20 de rim. Outras 461 pessoas esperam na fila para terem órgãos transplantados. A maior procura é por rim com 401 solicitações, seguida de córnea (39), coração (15) e ossos (6).

Em 2009 foram realizados no Estado 202 transplantes, sendo 180 de córneas, 14 de rins e oito de ossos. Em 2010 o número de pacientes transplantados já soma 151, dos quais 131 receberam córnea, 19 rim e um paciente realizou transplante de osso. Nos últimos dois anos nenhuma cirurgia para transplante de coração foi realizada.

Equipes transplantadoras

Em todo o Estado existem três equipes de médicos transplantadores de rins, uma de coração, 14 de córnea e uma de osso. Em Campo Grande a Santa Casa possui equipe de transplante de coração, rim, córnea e osso. Na Capital existem mais três clínicas particulares que realizam transplante de córnea, além do hospital São Julião. Em Três Lagoas duas clínicas particulares fazem cirurgia para transplante da membrana ocular.

Um comentário:

Ministério disse...

Olá, blogueiro (a),
Salvar vidas por meio da palavra. Isso é possível.
Participe da Campanha Nacional de Doação de Órgãos. Divulgue a importância do ato de doar. Para ser doador de órgãos, basta conversar com sua família e deixar clara a sua vontade. Não é preciso deixar nada por escrito, em nenhum documento.
Acesse www.doevida.com.br e saiba mais.
Para obter material de divulgação, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br
Atenciosamente,
Ministério da Saúde
Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude