sábado, 28 de abril de 2012

A DESPEDIDA

Helena de Paula
mhelenap66@hotmail.com

Uma garoa fina, folhas caídas pelo chão era um sinal de que outono chegara. Percebi isto naquela manha.

Apesar da chuva fina andávamos sob um guarda chuva, abraçadinhos pelo parque. Eu e o meu amado. Aquele passeio era na verdade uma despedida

Ele partiria naquela manha. Era uma viagem a negocio. Paris a cidade luz o aguardava. Eu estava muito triste

Mas ele havia me dito entre um beijo e outro que seria uma viagem breve e que logo estaria de volta. Poderíamos assim realizar a nossa tão sonhada e esperada união

Quando nos despedimos na estação senti me tentada a revelar meu segredo, mas este segredo ia permanecer guardado comigo, pois sabia que esta revelação ia com certeza interferir na sua decisão. Eu sabia o quanto aquela viagem seria importante para sua vida profissional. Por isto me calei ia ter paciência e aguardar sua volta. Fiquei ali sentada nos degraus daquela estação vendo trem partir. Levando meu amado rumo ao aeroporto na capital. Uma tristeza imensa tomou conta a de mim... Os dias se tornaram frios e vazios. A saudade era tanta e crescia a cada dia mais dentro de mim, como assim também crescia o meu bebe, segredo que não quis revelar naquela manha de despedida. Sete meses se passaram sem que eu tivesse uma única noticia do meu amado. Por isto resolvi procura-lo. Ele precisaria saber que nosso bebe em breve chegaria. Iria fazer-lhe uma surpresa, ia encontrar-me com ele. No entanto ao reencontra-lo sua reação inesperada foi de espanto.

Ele não me esperava... Não houve o abraço apertado nem o beijo que eu tanto ansiava. Não havia mais emoção na sua voz, nem brilho nos seus olhos. Percebi que já não era mais o amor da sua vida. Fiquei sem chão sob os pés quando ele evitando olhar-me nos olhos falou; - Sinto muito, mas a vida seguiu seu curso. Nosso caso ficou no passado.

– Caso? E o nosso amor, nosso bebe? Perguntei-lhe... Mas ele apenas me disse. - Por favor, avise-me quando o bebe nascer.

- So isto que você tem a me dizer? Perguntei tristemente.

- Sim era so isto. Estas foram suas ultimas palavras antes de se afastar, de sair pra sempre da minha vida. Meus sonhos terminaram ali.

Despedi-me de Pariz com lagrimas nos olhos. Mas ainda assim pude ver que a cidade nesta época do ano estava linda, florida e mais romântica que nunca, e isto para mim era a certeza de que a vida tinha que continuar... Era hora de voltar!!!


8 comentários:

Eu e Meus Livros disse...

Incrível Helena de Paula.
A cada frase um surpresa que nos leva a seguir seu texto com pitadas de amor.

artes e literatura disse...

As vezes nem percebemos quando é de verdade a verdadeira despedida. Emocionante, Helena! Você é minha maior inspiração para um dia mostrar meus contos. Sua amiga de sempre, Aninha

Natalia Nuno disse...

Que sabemos nós do nosso caminho? A vida nos prega partidas,mas a luz sempre surge por muito escuro que nos pareça esses momentos de desalento e desesperança.Para que a vida não nos pareça um absurdo é preciso levantar a cabeça e caminhar.Gostei muito Helena, a tua história bem contada, tantas vezes acontece por aí, é bem real.Bjs.

Joel Costadelli disse...

Oi Helena, venho a dar-te parabéns por este lindo Blog, as poesias e contos aqui expostos são lindos, Beijo Querida amiga.

Mauri Kappel disse...

Helena, o conto nos fala que o amor é lindo, alegre, cheio de esperanças. Mas revela também a desgraça de relacionamentos insinceros, descomprometidos, desleais, mentirosos, que tanta dor produzem. É certo que se precisa ir em frente, mas os traumas são cruéis. Parabéns! Abraço, Mauri

SonharColorido disse...

Lindo Helena...lindo demais...

Jorge Luiz Vargas disse...

Bom dia... como toda despedida tem um ar de melancolia... Obrigado por compartilhar seu lindo texto.
Jorge Luiz Vargas
Brasília-DF

Seagull disse...

Texto cheio de surpresa...que é sempre o que mais atrai o leitor.Essa desilusão marcante.Aquele que faz e nada assume.Coisas da vida e tão comuns no dia-a-dia de todos nós.Beijos querida amiga...te adoro e parabéns.